quarta-feira, 16 de julho de 2014

Santana de Parnaiba, o caminho dos bandeirantes


Situada bem próxima a São Paulo, a pequena e charmosa cidade de Santana de Parnaiba tem um clima simpático, delicado e aconchegante. Com seus lindos casarios antigos e coloridos, flores nas janelas e cortinas bordadas, a cidade encanta pela simplicidade e por seu aspecto romântico.







Caminhar pela cidade, que é uma das mais antigas do Brasil, significa descobrir detalhes encantadores e restaurantes charmosos que servem pratos culinários com o melhor tempero caseiro. A cidade oferece um passeio tranquilo para um final de semana, mas também festas, espetáculos de destaque e vários roteiros ecoturísticos. 



O conjunto arquitetônico do centro histórico de Santana de Parnaíba é o mais preservado do estado. Os sobrados e casas coloniais, construídas geminadas e no alinhamento da rua, foram testemunhas de grandes feitos que marcaram a história do Brasil.



Roteiro dos Bandeirantes

A cidade foi no passado o ponto de onde partiam as expedições dos bandeirantes, que procuravam ouro e pedras preciosas pelo interior do Brasil. Foram os bandeirantes que permitiram a expansão do território nacional além dos limites do Tratado de Tordesilhas, por isso Santana de Parnaiba é considerada o "Berço dos Bandeirantes".




Na entrada da cidade existe uma praça com vários monumentos que retratam os pioneiros e a saga dos sertanistas. É em Santana de Parnaiba que tem início o Roteiro dos Bandeirantes, uma rota turística que refaz os antigos caminhos percorridos pelos sertanistas. Trata-se de uma das estradas históricas mais antigas do Brasil. 


 


Serpenteando a serra, a estrada que teve início no século 16 acompanha o rio Tietê. Interessante é que ao invés de correr para o mar, como fazem a maioria dos rios, o rio Tietê corre para o interior do estado para desaguar no rio Paraná. O percurso de 180 km e engloba 8 cidades: Santana do Paranaiba, Pirapora do Bom Jesus, Cabreúva, Araçariguama, Itu e Porto Feliz até chegar a cidade de Tietê. Passeios pelas cidades do roteiro e almoços em fazendas fazem parte do pacote turístico.


 

Igreja Matriz de Sant'Anna


Foi abrindo caminhos entre matas e seguindo o rio Tietê que o sertanista português Manuel Fernandes chegou até esse local. Casado com Suzana Dias, que é considerada a fundadora da cidade, eles construíram uma fazenda em 1580 em torno da qual cresceu o povoado. Em meio aos jardins floridos diante da igreja encontra-se um monumento dedicado a Suzana Dias, por ela ter construído a primeira capela da cidade dedicada a Sant'Anna da qual era devota.




E foi a devoção da fundadora que deu o primeiro nome à cidade, Santana. O segundo nome Parnaiba tem origem na lingua tupi e foi acrescentado ao nome da cidade pelo fato do trecho do rio Tietê próximo à cidade ser imprestável para navegação devido à Cachoeira do Inferno. No local foi construída em 1901 a Barragem Edgar de Souza, primeira usina hidrelétrica do Brasil e a primeira a abastecer São Paulo.



Largo da Matriz

O ponto central da cidade é o Largo da Matriz, onde está a Igreja dedicada a Sant'Anna e um lindo coreto colorido e romântico. Construído em 1892 com gradis importados da Inglaterra, é um dos mais belos monumentos da cidade. Ainda é usado como palco de apresentações, principalmente para serestas. Aos domingos uma Feirinha de artes, artesanato e atrações musicais trazem movimento a praça.



Museu da Música

No antigo casarão situado nas imediações da igreja funciona o Museu Parnaibano da Música, que preserva antigos objetos relacionados à música, discos antigos, fotos e instrumentos musicais. No segundo sábado do mês realiza-se o encontro de seresteiros, que saem à noite pelas ruas da cidade a cantar serenatas.



Museu Casa do Anhanguera

No Largo da Matriz também está o Museu Casa do Anhanguera, uma construção do século 17 feita em taipa de pilão onde presume-se ter residido o bandeirante Bartolomeu Bueno da Silva - O Anhanguera. A construção representa uma tradição das moradas paulistas da época e ainda hoje mantém seu estilo original, tendo grande valor histórico e arquitetônico.


 


Reconhecido por suas investidas pelos sertões à procura de ouro, o bandeirante Bartolomeu Bueno da Silva foi apelidado de Anhanguera, que significa diabo velho, por causa do episódio lendário supostamente ocorrido em 1682. Segundo contam, para amendrontar os índios e obriga-los a revelar de onde provinha o ouro que usavam em seus ornamentos, o bandeirante ateou fogo a um pouco de cachaça e teria ameaçado colocar fogo nos rios e lagoas da região.



Cine Teatro /espaço  cultural

As artes fazem parte da cultura da cidade. O Cine Teatro é uma construção do final do século 19. Foi criado em 1891 pelo Coronel Raymundo, que era um apaixonado por cinema e teatro. Localizado próximo à igreja, foi no passado um local de lazer para diversas gerações. Com um salão que acomoda 200 lugares, permaneceu fechado por quase 20 anos até ser reinaugurado em fevereiro de 2008. Além de servir como sala de espetáculos, tem ainda o foyer que serve como espaço cultural para exposições diversas.





  
Eventos religiosos 

Um evento de destaque acontece na Semana Santa, quando centenas de pessoas entre atores e figurantes encenam a vida, morte e ressureição de Jesus através de cenas emocionantes. A apresentação ocorre numa cidade cenográfica às margens do rio Tietê, sendo considerada como a segunda maior do gênero no Brasil e a maior do Estado de São Paulo.

Em maio acontece a Festa do Cururuquara, que celebra e resgata a história da abolição da escravatura e louvor a São Benedito. Os descendentes dos escravos apresentam as rodas de samba que tiveram origem com os seus ancestrais. Em junho acontece a Festa do Suru em louvor a Santo Antônio e em julho a Festa dedicada à padroeira da cidade, quando são realizadas várias atividades culturais e religiosas. Além de procissões e missas, há oficina de artes e apresentações artísticas.   






Quem visita a cidade no feriado de Corpus Christi tem a oportunidade de apreciar os tapetes feitos de serragens que colorem as ruas. O evento envolve toda a comunidade, que a cada ano recebe um tema principal. As figuras criadas apenas com serragens coloridas, cal e areia, tem por objetivo enfeitar as ruas por onde passa a procissão, porém sem danificar a natureza. É por isso que não se usam nem flores e nem folhas.




Encontro de Antigomobilismo

Outro evento que atrai muitos turistas é o Encontro de Antigomobilismo, que reúne centenas de carros antigos e raros. Além da feira de artesanato, acontecem apresentações musicais e encontra-se muitos quitutes na feira de alimentação. Ao mesmo tempo acontece o "mercado de pulgas", que comercializa peças e artigos para veículos antigos. Combinando com o clima nostálgico da exposição, há sempre uma programação incluindo shows e bandas de rock dos anos 50 e Classic-Rock no coreto da praça. 


Ecoturismo

Um patrimônio ecológico da cidade é Morro do Voturuna, que permite um contato com a natureza através de suas paisagens e cachoeiras. Chamado também de Morro Negro, desse ponto partiam os antigos bandeirantes que exploravam a região em busca de ouro e pedras preciosas e deram origem a muitas lendas.


 


Outros roteiros ecoturísticos incluem a Rota dos Pesqueiros que é indicada para quem gosta de pescar. Há várias chácaras, sítios e fazendas que possuem criatórios de peixes. A Rota da Cachaça leva aos engenhos Caninha do Moraes, Caninha Parnaiba ou Engenho do Osiris, onde se encontram destilarias da famosa cachaça da região.


 

Caminho do Sol, uma vivência transformadora

Inspirado no Caminho de Compostela na Espanha, o Caminho do Sol é uma rota de 240 km que tem por objetivo valorizar a introspecção e o despojamento material. O trajeto começa no centro histórico de Santana de Parnaíba e passa por 12 cidades do interior paulista.

Durante 11 dias os caminhantes percorrem trilhas e caminhos rurais entre fazendas até chegar em Águas de São Pedro, uma estância de águas termais que marca o final da peregrinação. É onde está a imagem de São Tiago, protetor dos caminhantes. Feita por caminhadas ou por bike, é considerada uma vivência transformadora.

São Tiago Maior foi um dos apóstolos de Jesus, que percorreu a Espanha pregando o evangelho tornando-se seu padroeiro. Condenado à morte durante a perseguição aos cristãos, quando a cidade de Iria foi invadida, uma grande estrela surgiu no céu iluminando a cidade. Por isso a cidade passou a ser chamada de Santiago de Compostela, ou seja, o "Campo das Estrelas"...


Quem sou

Nascida em Belo Horizonte, apaixonada pela vida urbana, sou fascinada pelo meu tempo e pelo passado histórico, dois contrastes que exploro para entender o futuro. Tranquila com a vida e insatisfeita com as convenções, procuro conhecer gente e culturas, para trazer de uma viagem, além de fotos e recordações, o que aprendo durante a caminhada. E o que mais engradece um caminhante é saber que ao compartilhar seu conhecimento, possa tornar o mundo melhor.

Seguidores