terça-feira, 31 de maio de 2011

Fortaleza, a costa do sol poente




O estado do Ceará é um local singular. Terra do xote, do baião, das rendeiras de bilro e das paisagens feitas com areias em garrafas, em seus quilômetros de orla marítima o sol está sempre brilhante e a vista do mar é linda.




Os fortes ventos produzem boas ondas para os esportes náuticos e fazem deslizar sobre o mar as jangadas que são um símbolo do Ceará. Nas imediações da cidade, milhares de dunas se espalham por todos os lados e as lagoas de águas transparentes que se formam entre elas são verdadeiros oásis. Passeios de buggy, de barcos, a cavalo e caminhadas levam a locais paradisíacos.

Em todas as direções há sempre algo novo a descobrir, além de inusitadas histórias e famosas lendas. À tardinha, em todas as praias do litoral turistas e moradores se preparam para assistir o pôr-do-sol. Dizem os poetas que no Ceará o sol não se põe; se deita lentamente sobre o mar criando um cenário multicolorido de rara beleza.


 

No centro de Fortaleza os grandes calçadões das praias de Iracema, Meireles e Mucuripe permitem passeios agradáveis. Há sempre muitas pessoas caminhando, correndo ou contemplando o mar de águas claras e de ondas fortes.
 
As praias urbanas são impróprias para o banho de mar, mas existem outras praias próximas e muitas atrações turísticas no centro da cidade. A grande quantidade de bares e de restaurantes trazem muito movimento, tanto durante o dia quanto à noite.  
 
 
 
 

Ponte dos Ingleses: Um lugar bem movimentado no centro da cidade é a Ponte Metálica ou Ponte dos Ingleses, que é uma plataforma que avança mar adentro.

Foi construída em 1923 por uma empresa inglesa, sendo por isso chamada Ponte dos Ingleses. Pela plataforma desembarcavam muitas mercadorias e passageiros, mas com a inauguração do Porto de Mucuripe a ponte caiu em desuso.
 
A partir de 1994 a ponte foi transformada em um grande pier com bares, restaurantes, lojas e casas nortunas tornando-se parte do cenário turístico da capital cearense. Além de todas as atrações, a Ponte dos Ingleses encanta como um observatório marinho e pela manhã serve para admirar a dança dos golfinhos. Um espetáculo imperdível.



 
 
Dragão do mar: Outro lugar muito badalado é o Dragão do Mar, um centro cultural com uma arquitetura moderna que reúne teatros, espaço para shows, cinemas, galerias de arte, o Memorial da Cultura Cearense e o planetário, que tem uma cúpula de 10 metros e permite localizar as estrelas. À noite é um dos pontos mais animados da cidade.



 


Esse é um lugar surpreendente que foi inaugurado em 1998 como parte da revitalização do bairro de Iracema. A intensa programação de atividades trouxe movimento e incentivou a restauração dos casarões neoclássicos ao redor.

O nome desse lugar é uma homenagem ao jangadeiro Francisco José do Nascimento, apelidado de Dragão do Mar. Nascido em Aracati, ele conseguiu impedir o desembarque de escravos no porto de Mucuripe num dos mais importantes capítulos da luta abolicionista no país. O Ceará foi a primeira província brasileira a libertar seus escravos em 1884.



 
 
Teatro José de Alencar: Um dos lugares interessantes da cidade é o Teatro José de Alencar que faz parte da história da cidade. Inaugurado em junho de 1910, a fachada do teatro dá acesso a uma área ao ar livre. A partir do pátio pode-se admirar outra fachada, que possui uma arquitetura singular com vitrais coloridos e uma estrutura metálica que veio da Escócia.



 
 
 
Quem visita o teatro se encanta com as características da Belle Epoque mantidas e conservadas nos camarotes e nas escadarias, além do belo jardim projetado pelo paisagista Burle Marx. Os vários ambientes se destacam por sua diversidade. O nome do teatro é uma homenagem ao escritor brasileiro José de Alencar. Nascido no Ceará em 1829, o grande romancista criou inúmeras obras literárias, tendo enaltecido a origem do Ceará.

Como um escritor regionalista, destacou a evolução histórica e política sendo considerado um dos maiores escritores brasileiros. No subúrbio da cidade ainda pode-se visitar a casa simples onde viveu José de Alencar em sua infância. Localizada numa bela área verde, no local também pode-se apreciar o Museu Artur Ramos com peças indígenas e instrumentos da época da escravidão.


 
 
Museus: Muito da história do estado está no Museu do Ceará, que ocupa um prédio de 1817 onde estão reunidos inúmeros móveis, vestimentas e objetos históricos. Entre eles há objetos que pertenceram ao santo Padre Cícero e ao lendário cangaceiro cearense Lampião.

E o maracatu, que é uma das manifestações culturais mais interessantes do Nordeste, também tem a tradição preservada no Museu do Maracatu. Com um acervo que contém peças de vestuário, objetos de senzala, instrumentos musicais, o museu reconta a história dos personagens ligados ao folclore.



 

Nas imediações do museu está a Praça Cristo Redentor, que tem um lindo monumento que foi construído em 1922 para celebrar os 100 anos da independência do Brasil. A torre, com 35 metros de altura, tem o Cristo no alto abençoando a cidade.



 
 
Catedral:  Terra de muitas histórias de cangaceiros, poetas e de grandes artistas, Fortaleza é marcada pela religiosidade popular. A cidade possui uma das mais bonitas catedrais do Brasil, sendo a 2a. maior catedral do país e a 10a. maior catedral do mundo. A construção da Catedral de Fortaleza teve início em 1939 e demorou 40 anos para ser concluída. Construída em estilo gótico romano, o interior da igreja é magnífico e tem capacidade para 5.000 pessoas.


 
 
Capela Nossa Senhora do Rosário: A igreja mais antiga da cidade é a Capela de Nossa Senhora do Rosário, que tem a fachada voltada para a Praça dos Leões e foi palco de muitos acontecimentos históricos.
 
Foi construída em 1730 pelos negros da Irmandade Nossa Senhora dos Pretos, quando havia distinção de raça e classes sociais nas igrejas. Nossa Senhora do Rosário foi cultuada no século 15 em todo o reino Português, sendo considerada protetora dos navegantes e exploradores. 
 
  
 


Igreja Nossa Senhora de Fátima: Dentre as várias igrejas de Fortaleza, tem destaque a Igreja Nossa Senhora de Fátima que tem uma fachada coberta por vitrais coloridos. À noite as luzes destacam os desenhos dos vitrais e o terço iluminado realça a torre.
 
  



A maior imagem de N. S. Fátima no mundo: Impressionante é a enorme imagem de Nossa Senhora de Fátima com 15 metros de altura, que equivale aproximadamente a um prédio de 5 andares. Ela está colocada na praça em frente à igreja que lhe é dedicada. Consta que é a maior imagem de Nossa Senhora de Fátima em todo o mundo.
 

 
 
 
Castelão: Enorme também é o  Estádio Governador Plácido Castelo, conhecido popularmente como Castelão, que sediará alguns jogos da Copa do Mundo 2014. Em seus gramados estarão jogando a seleção brasileira e as seleções provenientes da Costa Rica, Uruguai, México, Alemanha, Gana, Grécia, Costa do Marfim e Brasil. O imenso estádio, que tem capacidade para 60.000 pessoas, é uma verdadeira obra prima.
 

 

Centro das Tapioqueiras: E quem vai à Arena Castelão não pode perder uma tradição típica do nordeste. O Centro das Tapioqueiras em Messejana  tem mais de 20 barracas que oferecem tapioca com os mais variados recheios. Há barracas que tem 80 opções a escolha.

As mais simples são feitas só na manteiga com queijo coalho. Outras tem recheio de camarão, carne de sol, frango além de recheios exóticos. Há ainda as tapiocas doces, recheadas com chocolate, morango, banana com canela e outros sabores. 

 

 

De origem muito antiga, conta-se que quando os colonizadores portugueses chegaram nas terras do nordeste, descobriram que a mandioca consumida pelos índios servia para fazer a tapioca em substituição ao pão. Daí surgiu a iguaria que ganhou recheios diversos tornando-se um patrimônio imaterial e uma paixão do nordeste.



 
 
Ypioca Park: Dentre as inúmeras atrações turísticas de Fortaleza tem destaque seus parques naturais e temáticos. Um parque temático é o Ypioca Park situado em Maranguape a 30 km do centro da cidade. Em meio a uma paisagem serrana, os campos de aventura e lazer do parque é uma atração imperdível.
 
É um lugar para praticar esportes e diversões radicais, como arvorismo, tirolesa, muro de escalada, trilhas para caminhada, acqua ball, banana-boat, esqui-aquático, o giroflex que desafia a gravidade, o divertido paintball, passeios de charrete, pedalinhos, playground, um delicioso restaurante e um foto estúdio onde se pode fazer divertidas fotos vestido de cangaceiro. 
 
  
]
 
 
 Museu da Cachaça: Dentro do Ypioka Park está o Museu da Cachaça, considerado um dos dez museus mais inusitados do Brasil. O museu reconta a história da cachaça, que está relacionada à trajetória da família Telles, fundadora da Ypióca que é a maior produtora mundial de cachaça. No casarão de 1856, que foi no passado a primeira fábrica do grupo, há documentos, fotos, garrafas antigas e ambientes que representam o processo de fabricação e um canavial.

 
 
 
O destaque do museu é o maior tonel de madeira do mundo registrado no Guinness Book, com 8 metros de altura e capacidade para 374 mil litros. Dois personagens de resina em tamanho natural encenam o trabalho realizado na moenda, sendo uma homenagem à participação dos escravos na saga da cana-de-açúcar.



 
 
Beach Park: Outro parque temático é o Beach Park, um complexo turístico com mais de 170.000 m² que nasceu de um badalado restaurante de praia e foi o primeiro acquapark da América Latina. Situado a junto à praia Porto das Dunas, a poucos quilômetros de Fortaleza, o local dispõe de toboáguas, piscinas, playground e quadras esportivas.



 

A atração mais radical do parque é o Toboágua Insano com 41 metros de altura, que equivalente a um prédio de 14 andares e proporciona uma sensação de queda livre a 105 km/h em 5 segundos.  O conforto dos luxuosos resorts junto ao Parque Aquático permitem a comodidade de alugar um lounge rústico e privativo para curtir as diversões.


 
 

Praia de Meireles: Na Praia de Meireles é grande o movimento de turistas pela avenida Presidente Kennedy, popularmente chamada de avenida Beiramar, que é tomada por modernos hotéis e outros estabelecimentos turísticos. Sendo o local do Clube Náutico de Fortaleza, é uma área muito movimentada durante o dia e grande parte da noite.
 
Embora essa praia seja imprópria para banho de mar, existem muitos quiosques à beira mar que oferecem pequenos lanches e servem para descansar. É também onde se realiza a Feirinha de Artesanato que contém várias peças artesanais típicas do nordeste, cujas técnicas são repassadas dos pais para os filhos. Artistas talentosos de várias cidades produzem diversos tipos de artesanato de alta qualidade que são vendidos na feira.

 

 
 
Mucuripe: Seguindo a Avenida Beiramar chega-se ao Rio Mucuripe, famoso por sua comunidade de pescadores. Um bom programa no final da tarde é petiscar nas barracas do Mercado do Peixe, onde estão os pescados mais frescos de Fortaleza.

A tranquila enseada de Mucuripe é reduto da comunidade caiçara em pleno centro urbano, que tem quadras de esportes e onde muitas jangadas aportam repletas de lagostas. Todos os dias, pela manhã e à tarde, chegam os pescadores para o movimentado mercado de peixes e mariscos.


 
 
É do Porto de Mucuripe que partem os veleiros que fazem passeios pela orla. No trecho próximo ao porto estão as jangadas que fazem passeios turísticos pelo litoral. São os poderosos ventos de Fortaleza que fazem deslizar as jangadas que cruzam os mares e são ideais para quem pratica esportes que dependem dos ventos ou quer se divertir soltando pipas.

Principalmente de julho a fevereiro os ventos se tornam mais fortes. Várias cidades do Ceará sediam campeonatos surf, windsurf, kitesurf por terem as melhores ondas e bons ventos. Também são os fortes ventos que movem o parque de energia eólica que estão em várias partes do litoral e formam fortes ondas em algumas praias.


 
 
Passeios de buggy: Muitas operadoras de turismo levam turistas para passeios de buggy em locais encantadores, como os passeios em praias desertas dunas e lagoas. E o passeio pode ser feito com muita e ou pouca emoção, que depende da velocidade nas subidas e descidas das dunas. É o turista que escolhe. 

Com muita emoção significa ter a sensação de estar numa verdadeira montanha russa através das manobras radicais sobre a inclinação das dunas. Com pouca emoção é apenas um passeio de contemplação dos cenários criados pela natureza.





As lagoas de águas transparentes que se formam entre as dunas são verdadeiros oásis, onde a grande diversão é deslizar do alto de uma duna sentado sobre uma prancha até cair na água sendo chamada popularmente de "skibunda". E é tão divertido que as pessoas escalam a duna para retornar até o alto e descer novamente em repetidas emoções. 

Os motoristas dos buggies credenciados são experientes na exploração das dunas, conhecem a região e contam a história de cada lugar. Dizem que em torno de 1600 havia uma aldeia dos índios Potiguara onde um explorador português construiu um povoado chamado de Nova Lisboa.

Devido à seca o português abandonou o lugar. Chegaram os holandeses e construíram o Forte Schoonenborch em torno do qual cresceu a cidade. Quando os portugueses recuperaram a cidade, o forte passou a ser chamado de Fortaleza de Nossa Senhora de Assunção que deu origem ao nome da cidade de Fortaleza.
 

 
 
 
O litoral do Ceará:  litoral do Ceará tem 570 km de praias lindas, que estão entre as mais belas e as melhores praias do Brasil. Em todo o litoral existem resorts luxuosos, além de pousadas e chalés românticos. A parte de vai de Fortaleza em direção ao Rio Grande do Norte é chamada Costa do Sol Nascente. A parte que vai em direção ao Maranhão é chamada Costa do Sol Poente. 

 
 

 
Costa do Sol Nascente: O trecho que vai de Fortaleza em direção ao Rio Grande do Norte é chamado Costa do Sol Nascente. Nesse trecho estão centenas de praias surpreendentes como a Praia do Futuro, Porto das Dunas, Prainha, Águas Belas, Caponga e as praias de Morro Branco e Canoa Quebrada emolduradas por falésias coloridas.


Praia do futuro
Praia do Futuro: A Praia do Futuro é a mais movimentada da capital cearense. Localizada a 11 quilômetros da área urbana, suas águas são limpas e os ventos formam ondas altas e fortes que espreguiçam na longa praia de areia branca.

É a praia preferida dos moradores e turistas para mergulhos, banhos de mar e prática de esportes náuticos, embora as vertentes marítimas e a rápida variação da maré exijam atenção dos banhistas. Ao longo do calçadão estão inúmeros quiosques e restaurantes especializados em frutos do mar, que são uma atração à parte.


Praia do futuro

Quiosques existem em outras praias, mas aqueles da praia do Futuro são maiores e oferecem uma estrutura comparada aos hotéis, com piscinas, playground, palcos para shows, além de duchas de água doce, cadeiras de praia, muita música e animação tanto durante o dia quanto à noite.

E quem não gosta de ser servido com muita mordomia na praia? Entre uma bebidinha e outra o garçom traz as típicas patinhas de caranguejo ou um pargo assado no sal grosso. Tudo isso logicamente tem um preço variado dos quiosques mais simples.
 
Embora a faixa de areia seja longa, alguns trechos dessa praia são praticamente desertos e menos seguros. Para chegar até a parte movimentada da praia do Futuro é recomendável usar carro próprio ou taxi e evitar o uso de ônibus principalmente à noite.


Aquiraz
Aquiraz: Entre 15 a 40 km do centro da cidade existem inúmeras praias de águas limpas, como Porto das Dunas, Prainha, Presídio, Iguape, Marambaia, Barro Preto e Batoque que pertencem à cidade de Aquiraz.


 


 
 
Quem vai de Fortaleza para Porto das Dunas passa por cima de uma duna bem alta e logo se surpreende com esse pedacinho de paraíso com inúmeros coqueiros. Porto das Dunas e Prainha dispõem de um cenário encantador, onde pescadores com suas jangadas disputam anualmente uma grande regata conhecida como Navegarte. Na Prainha uma grande atração é Centro de Rendeiras onde as senhoras confeccionam a renda de bilro.
 
 
 
 
 
Rendas cearenses: As rendas cearenses são encontradas em diversos locais do Ceará, mas junto com as rendeiras pode-se conhecer o complicado manejo dos pinos, que são feitos pelas rendeiras num ritmo veloz enquanto o trabalho progride. Essa é uma arte muito antiga, tendo chegado ao Brasil através das generosas senhoras portuguesas que aportaram nessas terras no século 17.
 
Conta-se que no início da colonização do Brasil no início dos anos 1600, a enseada era um porto de embarcações de piratas que margeavam a costa brasileira. Para defender a região os colonizadores portugueses se fixaram em alguns trechos da orla, dando origem a pequenas cidades. Uma delas é Aquiraz, que ainda mantém prédios históricos e suntuosos casarões que outrora foram residências da aristocracia portuguesa quando a cidade era a capital do Ceará.
 
Na época muitos jesuítas portugueses moravam em Aquiraz e cuidavam na evangelização dos índios Potiguaras que habitavam a região. Dessa época restam ruínas do antigo posto de hospedagem dos jesuítas, onde permaneciam para descansar antes de seguirem viagem para o sertão cearense. Os jesuítas permaneceram em Aquiraz entre os anos de 1727 a 1760, até serem expulsos sob a acusação que estavam incitando as populações contra o governo português em proveito próprio.
 
 

 

 
Cascável: As praias de Águas Belas e Caponga no litoral de Cascavel estão a uns 60 km de Fortaleza. São essas praias que concentram o maior porto de pesca artesanal do Ceará e também são preferidas por famílias que viajam com crianças devido as águas limpas e mansas.
 
O encontro do verde-esmeralda do Rio Mal Cozinhado com o Oceano Atlântico pontilhado por dunas brancas é um espetáculo para quem aprecia a natureza. O cenário muda no decorrer do dia, quando as cores das velas são impulsionadas pelo vento constante. Dizem que foram os exploradores portugueses que em 1700 deram o nome ao rio "Mal Cozinhado", por não conseguirem cozinhar a casca do caranguejo.
 
O passeio de Buggy leva a aventuras nas lagoas e piscinas naturais em meio às dunas, até chegar no mirante do Morro dos bugueiros onde há uma vista panorâmica. Dali já se consegue vislumbrar o início das famosas falésias, que dominam as praias de Morro Branco e praia das Fontes, que são recantos encantadores do Ceará.
 




Morro Branco: Morro Branco está a 90 km de fortaleza, um lugar de paz e liberdade onde o silêncio traz uma sensação de bem estar e o cenário causa deslumbramento. Nesse trecho há dezenas de praias com ondas fortes e excelentes ventos que convidam para a prática de esportes náuticos.
 
Das falésias coloridas jorram fontes de água doce que proporcionam banhos refrescantes. O lindo contraste da praia de areia avermelhada com o azul do mar é a grande atração do lugar. Na praia Canto Verde há uma curiosidade interessante: ora o mar está azul, ora se torna verde. A cor depende da temperatura do ar naquele momento.
 
Independente do ritmo, o passeio de buggy pelas subidas e descidas nas dunas inclinadas são de pura emoção. Os percursos levam à Lagoa de Açucena onde se pode descer de ski pelas dunas ou na Lagoa de Uraú, que é maior e indicada para esportes náuticos. Nessas imediações foram realizadas as filmagens do programa "No Limite" da Rede Globo.
 
 
 

 
 


Falésias: O monumento das falésias é um labirinto de cores, que ao amanhecer formam uma paisagem que parece uma obra de arte. Com os raios do sol, as cores vão aparecendo com mais intensidade e a beleza do lugar toma conta de tudo que se vê. 
 
É das falésias que saem as areias naturalmente coloridas com as quais se fazem as famosas garrafinhas típicas do Ceará. Feitas em 13 cores, a arte da ciclogravura se inspira nos elementos da natureza, nas paisagens do Ceará e outros desenhos, podendo fazer encomendas personalizadas.
 
Esse tipo de arte brasileira é única no mundo e nasceu em Majorlândia no Ceará há mais de 60 anos passados. Dizem que Dona Joana Carneiro tinha o hábito de engarrafar as diversas areias coloridas. Certo dia uma garrafa tombou sobre a mesa antes que estivesse cheia. As areias se misturaram e criaram alguns desenhos, surgindo daí surgiu a ideia de criar as imagens com areias.
 
A atividade foi aperfeiçoada pelos filhos de Dona Joana, principalmente pelo Antonio, mais conhecido como "Toinho da areia colorida". Hoje verdadeiras obras de arte são criadas por diversos artistas, que podem ser encontrados na vila da praia de Majorlândia. Nos pequenos e grandes recipientes brotam imagens diversas feitas com a ajuda de arames ou palito, que intrigam pela habilidade e delicadeza dos artistas que as criam.
 


 

Canoa Quebrada: Canoa Quebrada é um vilarejo que pertence à cidade de Aracati, sendo considerada uma das praias mais bonitas e famosas do Brasil. Situada a 160 km de Fortaleza, nos anos de 1970 Canoa Quebrada era uma pacata aldeia de pescadores até ser descoberta pelos hippies e transformada em reduto "paz e amor", que lhe legaram o símbolo de uma Lua com estrela.

Atualmente Canoa Quebrada tem todas as facilidades e mordomias, mas ainda mantém seu astral alternativo na vila encravada no alto de uma falésia. Com suas casinhas multicoloridas e construções em forma de castelinhos, na praia as jangadas rústicas cruzam o mar esverdeado, enquanto as formações multicoloridas espalham-se por todas as direções. 




O dégradé das falésias com nuances que vão do branco à terracota e as marmorizadas encontradas em Ponta Grossa é um grande espetáculo. Existem muitos quilômetros de praias inexploradas, onde se pode ir nos passeios de jangada, buggy, a cavalo ou de barco pelo Rio Jaguaribe.

À noite a vida de Canoa Quebrada acontece na Broadway, uma rua que virou calçadão e teve o piso de areia substituído por pedras portuguesas. Com muitos bares, restaurantes e boates, é a alma da animada vida noturna. No verão, o agito se transfere para a praia, cenário de luaus e festas ao som de muito reggae. Prática comum entre os turistas que chegam de Fortaleza é hospedar pelo menos uma noite em Canoa Quebrada.
 
 

Costa do Sol Poente: O trecho que vai de Fortaleza em direção ao Maranhão é chamado Costa do Sol Poente. Nesse trecho encontra-se centenas de praias, grandes e pequenos vilarejos, muitas dunas e lagoas. Há muitas praias desde Caucaia até Trairi, sendo famosas Barra do Cauipe e Cumbuco. Mais adiante estão praias dos vilarejos de Mundaú, Icaraizinho, Acaraú e a encantadora Jericoacora.
 
 

 
 
Caucaia: Devido à proximidade com a área urbana, as águas do mar nos primeiros 25 km de Fortaleza são impróprias para banho de mar. Mas apenas alguns quilômetros adiante chega-se a Caucaia, que tem praias limpas e emolduradas por muitos coqueirais como a extensa a Barra do Cauipe e a Praia do Cumbuco, que é a praia mais colorida do Brasil. 
 
Devido aos ventos fortes Caucaia tornou-se a capital do kitesurfe, windsurfe e paraglider. Ver as manobras mais de perto serve como convite para colocar o pé na prancha. O cenário é deslumbrante e proporciona banhos de mar e passeios inesquecíveis.
 
 


 
 
Na cidade de Caucaia há ótima infraestrutura, bons restaurantes, hotéis e pousadas. Quem se hospeda em Caucaia pode fazer um tour turístico em Fortaleza através de um microônibus.  De Caucaia até Trairi existem dezenas de vilarejos com praias quase desertas e inúmeras lagoas.
 
Entre as mais conhecidas da região, Lagoinha é uma das mais belas que tem um cenário de dunas, coqueiros e falésias. Os passeios de buggy pelas dunas levam até a Lagoa do Parnamirim, Lagoa do Banana e na foz do rio conhecido como Lagoa do Cuípe.
 
Os curiosos em observar a paisagem do alto podem fazer um sobrevoo de helicóptero pela região e vislumbrar os detalhes da cidade, as falésias, as dunas, as pipas de kitesurfe e até os arranha-céus de Fortaleza.
 
 
 


 
 
 
Mundaú: Pacato vilarejo a 145 km de Fortaleza, Mundaú preserva o ambiente rústico da vila de pescadores misturado ao requinte das charmosas pousadas à beira mar. Nesse exótico trecho de praias, de um lado ficam as dunas amareladas e do outro a praia de areias brancas e o mar, que hora está verde ora está azul. O giro de buggy pelas dunas leva até o alto de um paredão de 20 metros onde pode-se visualizar a divisão entre o rio e o mar e as faixas de areia que parecem uma pintura desenhada a mão.
 
Os passeios de catamarã pelo rio revelam belas paisagens, onde vivem muitos pássaros, garças e crustáceos que vivem no manguezal. No caminho estão os coqueiros quadrigêmeos. Antes da embarcação atracar, os garotos do lugar fazem exibições de descida nas dunas e outras acrobacias na ponte do mirante. Do farol de Mundaú tem-se uma vista esplêndida vista panorâmica da praia.
 
Durante a noite o silêncio impera na vila e barulho só mesmo das ondas do mar e da natureza. Na maior parte da praia de Mundaú há apenas a iluminação de tochas e alguns bares colocam mesas e cadeiras na praia com fogueiras acesas para tornar o ambiente romântico e aconchegante. Em noite de lua cheia o mar se torna platinado, tornando-se um lugar bucólico para os casais apaixonados.
 
 
 

Icaraizinho: A vila de Icaraizinho de Amontada é um pequeno paraíso a 190 km de Fortaleza, tendo acesso somente para veículos com tração nas quatro rodas.  O lugar é rústico e simples, mas as elegantes e charmosas pousadas propiciam um clima requintado e romântico com seus bangalôs e espreguiçadeiras à beira do mar.

Na maior parte do ano a vila é tomada pelo silêncio e pela tranquilidade. Nem sinal de celular chega lá. Barulho, só a voz das ondas do mar e o assobio dos ventos que são perfeitos para velejar. Em toda a região as rajadas de vento são excelentes para os esportes náuticos.

Com uma curta caminhada encontra-se as dunas de areia branca e piscinas naturais, além do rio Aracatiaçu com suas ostras fresquinhas servidas logo depois da pescaria. O passeio de balsa leva à nascente do rio, passando por mangues e fazendas de criação de camarão até chegar ao distrito de Mosquito, onde vilas se escondem entre dunas.

Na praia da Moita dezenas de barquinhos ficam atracados e o único bar é o lugar para se fartar de peixes fresquinhos. Caetanos também é uma praia primitiva, onde todos os dias os bravos pescadores saem em suas jangadas para buscar o pescado. A Lagoa de Sabiaguaba é onde os moradores se divertem e promovem o encontro entre os amigos para degustar a farta pescaria. 


praia das arpoeiras pela manhã

praia das arpoeiras no meio do dia

Acaraú: Aventurar-se pelo litoral do Ceará significa descobrir vilarejos encantadores como Acaraú, que possui extensas praias praticamente desertas e excelentes ventos que podem gerar ondas de até 3 metros. Situada a quase 240 km de Fortaleza, banhada pelo mar e pelo Rio Aracaú, dela fazem parte as praias Barrinha, Aranaú, Morgado, Monteiros, Espraiado, Volta do Rio, Croa Grande e Arpoeiras.

Um fenômeno interessante ocorre na Praia de Arpoeiras, que é considerada uma das maiores praias secas do mundo. Bem cedinho o mar está lá espreguiçando suas ondas sobre a praia. De repente, cadê o mar??? A partir de certa hora o mar recua por uns 2 km e só restam pequenas lagoas. Por várias horas o mar fica longe e só retorna à tardinha. Há dias que é o inverso. Interessante, não é? 

Essas variações da maré ocorrem porque esse ponto é raso. Durante as fases das luas novas e cheias as variações da maré são mais intensas. Os mais ousados chegam a percorrer vários quilômetros em alta velocidade, a bordo de carros movidos à vela ou  kitebuggy. Quem não conhece os segredos do mar corre risco de ser surpreendido pela maré. 



 

Histórias de pescador: Conversar com os pescadores artesanais significa aprender os segredos do mar e valer-se da experiência que eles tem com as marés e com a vida. Eles estão em todo o litoral do Ceará e sabem direitinho como as fases da lua e as épocas do ano influenciam nas marés e na pesca. Uma sabedoria popular imperdível.

A tradição náutica do Ceará remonta aos indígenas costeiros, que aprenderam a dominar o mar em suas canoas e jangadas feitas com troncos de árvores e foram enriquecidas pelas velas triangulares trazidas por colonizadores europeus. A existência de abundante madeira tropical deu origem a dezenas de tipos de embarcações, que fazem da costa do Ceará o berço das embarcações mais tradicionais do mundo.

Contam os pescadores que eles costumam passar mais de uma semana em uma pequena canoa aberta, munidos apenas de linhas, anzóis, uma caixa de gelo, um botijão de gás para a iluminação noturna e um braseiro para assar o peixe recém pescado. Para dormir só pedaços de rede e as estrelas por cobertor. Ruim é na época da chuva, que precisa de lona plástica para proteger do aguaceiro o corpo cansado.

Com eles vai sempre a incerteza, que ao mesmo tempo espera na volta ao porto. A chegada é anunciada pelos rojões, quando muitas pessoas se aglomeram logo que os cascos tocam a areia.

No porto as famílias esperam ansiosas pelo retorno de seus entes queridos. Quando eles tem sorte, chegam com grandes peixes que podem ter centenas de quilos e foram capturados apenas com anzóis e linhas seguras apenas com suas mãos calejadas. Triste é cansar de esperar quem não vai voltar porque naufragou. Essa é a vida de pescador.  

As comunidades costeiras da costa do poente tem uma cultura peculiar. Acostumados com a mudanças, sejam das dunas como das marés, da pesca e das fases da lua, eles tem um caráter flexível e se adaptam facilmente às diversas condições do tempo e às pessoas que chegam por ali. Não resistem às mudanças e pouco entendem as exigências externas que ameaçam sua sobrevivência. Sua vida é o mar...

 
 


Almofala: Na Costa do Sol Poente as lagoas de águas transparentes são verdadeiros oásis entre as dunas douradas, que estão constantemente mudando de lugar e dando origem a muitas lendas. Uma dessas histórias envolve Almofala, uma comunidade praiana a 12 km de Itarema encravada entre dunas e cajueiros.
 
Em torno de 1697 essas terras tinham sido dadas aos índios Tremembés para que eles fixassem suas aldeias permanentes. As antigas missões dos jesuítas incentivaram os índios a levantar uma igreja em 1712, que foi consagrada a N. S. da Conceição. Porém a partir de 1898 teve início um estranho fenômeno de ventos muito fortes que foram trazendo tempestades de areia, até que em pouco tempo formou-se uma grande duna de areia que enterrou o lugarejo.
 
Passaram-se quase cinquenta anos, até que em 1940 os fortes ventos começaram a gradativamente mudar a duna de lugar e eis que os moradores foram surpreendidos com a descoberta da antiga igreja construída com os belos traços barrocos de sua torre e o crucifixo de ferro. Depois de restaurada a igreja foi reconhecida como monumento nacional e desde aquela época os moradores se reúnem em agosto para festejar sua padroeira Nossa Senhora da Conceição.
 

 

 
Tatajuba: Outro fato envolveu Tatajuba, um pequeno vilarejo de casas de taipa sem energia elétrica, onde os únicos carros que circulam pelas ruelas são os buggys transportando turistas vindos a passeio de Jericoacoara e Camocim.

A paisagem é de coqueiros, areias claras e altas dunas circundam a Nova Tatajuba, que foi construída em 1980 depois que o antigo povoado foi sendo lentamente coberto pelas dunas expulsando os moradores do antigo lugarejo. Do alto ainda pode-se avistar o resto dos telhados das construções mais altas e da capela da antiga Tatajuba que foi enterrada.

A mais alta é a Duna Encantada, que tem 30 metros de altura e proporciona uma das vistas mais belas da região. Ela serve como um ponto de referência para os pescadores quando eles chegam do mar. Segundo lendas, sob essa duna há um antigo navio e as vozes dos tripulantes ainda podem ser ouvidas nas noites silenciosas.
 


 
 
Jericoacoara: Jericoacoara consta entre as dez praias mais bonitas do mundo. Situada a um pouco mais de 300 km de distância de Fortaleza, só se chega até lá em veículos com tração nas quatro rodas e depois de muito sacolejo. Tem ônibus, mas leva horas e horas. Alcançar o paraíso requer certa determinação, porém quem se aventura a chegar até lá não se arrepende da viagem. O visual é deslumbrante.


 

No passado Jeri era uma simples e isolada aldeia de pescadores até ser descoberta  pelos amantes do windsurf e kitesurf que encontraram ali fortes ventos. Jijoca é principal praia de Jericoacoara, sendo considerada uma das melhores do país para a prática de esportes náuticos. Por todo o espelho d´água os bons ventos da região conduzem jangadas e pranchas de kitesurf, que dividem o espaço em perfeita harmonia.


 

 
Passando pelas dunas, chega-se à Lagoa Azul que é mais rústica e à Lagoa Paraiso com pousadas confortáveis e restaurantes que oferecem redes e espreguiçadeiras, ambas com praias de água doce.  

As praias de Jeri convidam a longas caminhadas pela manhã e no final da tarde, pois ao meio dia o sol é escaldante. Um dos passeios leva à trilha do Serrote e até o enorme arco de pedra esculpido pela ação das ondas e do tempo é o símbolo de Jericoacoara. O sentido oposto vai para os lados de Guriú e Tatajuba.  




Ao final da tarde turistas e moradores sobem uma duna de 30 metros para apreciar o espetáculo do sol mergulhando no mar. Depois a vila vira festa. Com restaurantes transados, bares animados, forrós pé-de-serra e festa eletrônica, a noite de Jeri é muito animada. Nas noites de lua cheia o programa preferido é simplesmente apreciar o céu, sempre repleto de estrelas...   
 


Quem sou

Nascida em Belo Horizonte, apaixonada pela vida urbana, sou fascinada pelo meu tempo e pelo passado histórico, dois contrastes que exploro para entender o futuro. Tranquila com a vida e insatisfeita com as convenções, procuro conhecer gente e culturas, para trazer de uma viagem, além de fotos e recordações, o que aprendo durante a caminhada. E o que mais engradece um caminhante é saber que ao compartilhar seu conhecimento, possa tornar o mundo melhor.

Seguidores