sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Muqui, uma colônia italiana em estilo art-nouveau




Muqui é pequena e encantadora cidade localizada entre grandes montanhas ao sul do Espírito Santo e faz parte das rotas capixabas. Fundada em 1912 às margens do rio muqui, a cidade já teve uma das maiores plantações de café o que lhe deu grande prestígio. Dessa época restaram duas centenas de belos casarões históricos que são o charme da cidade, sendo também uma opção de férias em antigas fazendas.





 Em função das fazendas de café, Muqui viveu um período de muita riqueza e ostentação da aristocracia que são visíveis nas construções de sobrados e palacetes com varandas contendo afrescos nas paredes e balcões artisticamente trabalhados. Em diversos estilos, é o maior conjunto arquitetônico art-nouveau do estado. 



  



Outra ostentação daquela época são as dezenas de pianos centenários existentes na cidade, que foram preservados e ainda funcionam perfeitamente. O Projeto "Muqui de Portas Abertas" visa promover mensalmente saraus de piano, fazendo ecoar música nos casarões da cidade que abrirão suas portas para receber o público. Além de assistir as apresentações musicais permitirá apreciar o interior dos belos palacetes com seus ricos detalhes nos tetos trabalhados, antigos cadelabros e maçanetas de porcelana.





Muqui teve grande desenvolvimento com a Linha Férrea Leopoldina que transportava o café. A Estação de Muqui testemunhou muitas chegadas, principalmente de imigrantes italianos que vinham em busca de uma nova vida no Brasil e eram atraídos pelas fazendas de café. Muitos italianos chegaram em Muqui mesmo antes da existência da estação. Vindo em lombos de burro, eles transformaram a cidade numa grande colônia italiana. 

 


As antigas fazendas de café fazem parte do roteiro de ecoturismo quando se pode conhecer sua história. Algumas recebem visitas de turistas e oferecem hospedagem, além de passeios pela Serra da Morubia, cachoeiras e piscinas naturais. É também a oportunidade de conhecer a gastronomia típica do lugar e provar os doces, pães e pizzas. Um dos atrativos é o Sumidouro, um fenônemo natural que faz o rio desaparecer debaixo de um lajeado para reaparecer a 800 metros depois.



A Igreja de São João Batista, que é o padroeiro da cidade, é uma das maiores igrejas do Espírito Santo. Construída com belos vitrais nos anos de 1940, os afrescos foram feitos pelo pintor Giuseppe Irlandi e os mármores foram importados de Carrara na Itália. A avenida de acesso à igreja tem um largo passeio pavimentado por onde se pode caminhar calmamente e apreciar o encanto da cidade e a beleza de seus jardins.




Muqui tem muitas festas, festivais e eventos durante o ano, sendo um deles o Carnaval do Boi Pintadinho quando vários blocos saem às ruas cada um levando seu boi pintado. Porém o evento mais conhecido de Muqui e considerado um dos mais antigos é o Encontro da Folia de Reis que recebe mais 90 grupos provenientes de várias localidades do Brasil durante a semana do folclore. 

Festejo de origem portuguesa, a Folia de Reis é uma tradição passada de geração em geração. Os grupos, com suas roupas brancas ou uniformes, caminham pelas ruas da cidade levando seus instrumentos e as violas enfeitados com fitas coloridas, tendo cada cor um significado próprio.




Com saudações e cantorias, eles vão de casa em casa levando sua bandeira enfeitada, que é um objeto sagrado. Os palhaços ou bastiões com suas máscaras e roupas coloridas dançam, cantam e pulam ao som dos tambores, viola e sanfona pelas ruas históricas da cidade. Eles são incumbidos de levar as espadas que, segundo a tradição, serviriam simbolicamente para defender a bandeira.

Apesar dos folguedos a festa está relacionada ao culto católico do natal, numa manifestação de fé e devoção que finaliza na igreja. A Folia de Reis representa a história da viagem dos três Reis Magos, reproduzindo de forma simbólica a ida ao presépio para adorar o Menino Jesus. 


2 comentários:

Flora Maria disse...

Adorei conhecer Muqui e seus lindos casarões !
Felizmente essas jóias foram preservadas.

Beijo

Lucia de Belo Horizonte / MG disse...

Querida Flora: Obrigado por sua visita e gentil comentário. Abraço, Lucia

Quem sou

Nascida em Belo Horizonte, apaixonada pela vida urbana, sou fascinada pelo meu tempo e pelo passado histórico, dois contrastes que exploro para entender o futuro. Tranquila com a vida e insatisfeita com as convenções, procuro conhecer gente e culturas, para trazer de uma viagem, além de fotos e recordações, o que aprendo durante a caminhada. E o que mais engradece um caminhante é saber que ao compartilhar seu conhecimento, possa tornar o mundo melhor.

Seguidores