quinta-feira, 14 de março de 2013

Baependi, o paraíso das cachoeiras




No sul de Minas Gerais, Baependi é uma cidade que faz parte da Estrada Real. Esse era o antigo caminho que ligava Minas Gerais até Parati no Rio de Janeiro, por onde nos fins do século 17 era embarcado o ouro extraído em Minas e enviado para a Europa. Os antigos casarões são testemunhas dessa época e recontam a história da cidade. 





Situada na Serra da Mantiqueira, a cidade faz parte do Circuito das águas que compreende diversas estâncias hidrominerais com propriedades medicinais e terapêuticas. O clima da cidade é agradável e a riqueza natural propicia uma das melhores qualidades de vida, sendo um lugar para encontrar paz, descanso, relaxamento e bem estar. 




Cestaria de Baependi



É nessa tranquilidade que muitos artesãos fazem seus trabalhos em bambu, palha de milho, cipó e árvore de café transformando-os em cortinas, bolsas, cachepôs e variadas cestarias que tem grande fama devido à boa qualidade das peças. De todos os tamanhos e formatos, são excelentes para decorar uma bela cesta de café da manhã ou cesta de natal. 

A tranquilidade da cidade só foi perturbada em 1979, quando um agricultor relatou seu encontro com alienígenas. Isso causou grande repercussão atraindo muitos ufólogos e jornalistas que foram à cidade para ver o local de pouso da nave vinda do espaço, mas até hoje é considerado um mistério. 




Igreja Nossa Senhora do Rosário
Igreja Matriz de Nossa Senhora de Montserrat
Igreja Matriz de Nossa Senhora de Montserrat
Igreja Matriz de Nossa Senhora de Montserrat


Igrejas: Baependi é uma cidade que mantém a tradição de muita religiosidade, que pode ser notada nas várias igrejas antigas da cidade como a Igreja Nossa Senhora do Rosário e a Igreja de Nossa Senhora da Boa Morte, construídas nos anos de 1815. 

A de maior destaque a Igreja Matriz Nossa Senhora do Montserrat  que foi construída em 1754. Contendo um rico acervo, sua mistura de estilos barroco e rococó é considerada a única do gênero no Brasil tendo sido considerada um Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. 




Semana Santa: Uma tradição da cidade é a cerimônia da Semana Santa que é realizada pelas ladeiras da cidade há mais de 200 anos. A paixão de Cristo é representada pelos moradores que se vestem conforme o costume da época, transformando a cidade num verdadeiro teatro vivo. Seguindo os preceitos de antigos tempos, os sinos não dobram nos dias da Santa Semana e apenas as matracas da quaresma são agitadas e emitem sons ritmados quebrando o silêncio na cidade. 



Santuário Nossa Senhora da Conceição



Nhá Chica: Atualmente a cidade também tem atraído muitos peregrinos ao Santuário de Nossa Senhora da Conceição, mais conhecido como Igreja de Nhá Chica, que é considerada um patrimônio espiritual da cidade.

Nhá Chica era uma senhora que tinha muita fé e dons de clarividência, a quem muitos iam pedir orientações.  Era analfabeta, não aprendeu a ler e escrever, e das escrituras sagradas ela só conheceu porque alguém ia ler para ela. Mesmo assim ela tinha grande sabedoria.

Comerciantes e homens de negócios iam conversar com ela e ouvir seus conselhos. Muitos a consideravam uma santa e não tomavam decisões sem antes consultá-la.  No entanto Nhá Chica não se considerava santificada, ela dizia que apenas rezava com fé. Falecida em 1895 aos 87 anos de idade, o Papa Bento XVI promulgou o Decreto da Beatificação de Nhá Chica. A cerimônia oficial está prevista para maio de 2013. 



 
 
 



Cachoeiras: Em Baependi o tempo corre tranquilo e sereno, como as águas de seus rios e dezenas de cachoeiras que atraem durante o ano todo muitos ecoturistas interessados em praticar canyoning, rapel e muitas trilhas e picos para quem gosta de caminhadas, mountain-bike, cavalgadas, montanhismo e escaladas.   


As cachoeiras mais próximas são a Cachoeira Gamarra que é a mais conhecida e frequentada na região, a Cachoeira Caixão Branco e a Cachoeira do Inferninho que impressiona pelos seus 30 metros de altura. Embora seja muito perigosa, é muito frequentada pelos amantes da natureza. 
 
A Toca dos Urubus é o pico mais perto da cidade. Está apenas 2 km do centro da cidade e do alto tem-se uma bela vista panorâmica das serras nas redondezas. Com uma altitude de 1200 metros, é acessível uma parte por carro e o restante pela caminhada numa trilha. Mais ao sul está o Morro do Chapéu e a Cachoeira Itaúna que é uma das mais belas da região. Muito exuberante, a cachoeira está a 17 km da cidade e o acesso é feito por uma estrada de terra.



 
 


O Pico do Canjica é um dos maiores da região com mais de 2.300 metros de altitude. Das encostas da serra tem-se uma vista privilegiada sendo possível distinguir várias cachoeiras, tal como a Cachoeira do Cavalo Baio que está dentro do Parque da Serra do Papagaio. A nascente da cachoeira está a mais de 2.200 metros e dá nome ao cânion.

De extraordinária beleza, a Cachoeira do Cavalo Baio é a segunda maior de Minas Gerais. Com 215 metros de queda, é a maior via de rapel do Brasil com 1.050 metros de desnível. O local é de difícil acesso sendo necessário um guia.

O Parque da Serra do Papagaio é um santuário ecológico que se estende por uma imensa área. Ainda que haja alguns trechos de difícil acesso, há algumas trilhas com pouca dificuldade. A Serra do Papagaio faz a divisa entre Baependi e Airuoca. 



 


Da Serra da Careta pode-se ver todas as altas serras da Mantiqueira, porém é preciso enfrentar a caminhada até o topo de 2.050 metros de altitude sendo aconselhado um guia. Incrustada nas encostas da Serra da Careta está a Cachoeira do Juju, que é a mais distante de Baependi. Embora seja de difícil acesso, seus 130 metros de queda proporcionam um espetacular cenário. É um lugar ideal para esportes de aventura.

Também distantes estão a Cachoeira Honorato Ferreira e a Cachoeira Três Quedas que estão a 25 km da cidade. Uma parte do percurso pode ser feito por carro, mas o restante tem que ser feito por uma caminhada através da trilha, preferencialmente com um guia.

Mais adiante está a Cachoeira do Caldeirão que despenca de 15 metros de altura caindo sobre um lago com 30 metros de profundidade. Alguns banhistas mais ousados saltam das pedras mergulhando no lago. O local é de difícil acesso mas da cachoeira avista-se outras cachoeiras nos morros mais altos, pois Baependi é o paraíso das cachoeiras...




4 comentários:

* Edméia * disse...


*Lúcia, a última vez que estive

em Baependi foi para assistir uma

missa onde está enterrado o corpo

da beata Nhá Chica ! Eu participava

de uma pequena excursão ! Iamos

passar o dia em São Lourenço ! Foi

gostoso !!! :))

*Lúcia, se eu fôsse jovem na

idade hoje (sou no modo de ser !

kkkkkkkkk) ... eu não praticaria

nenhum tipo de esporte de

aventura, esporte radical ! Sou

muito medrosa para tanto !

Todavia, eu iria conhecer algumas

dessas cachoeiras mencionadas aqui

por você ! *Amo todas as formas de

ÁGUAAAAAAAA : cachoeiras, mares,

lagos, rios ... amoooooooo !!! :))

Lucia de Belo Horizonte / MG disse...

Olá Edmeia: Existem lugares que dá medo mesmo. Mas há lugares ótimos e mais seguros. Obrigado por sua visita e seu comentário. Abraço, Lucia

emilly disse...

Eu moro em Baependi e amo muito aqui ��

david marcos da Silva disse...

esse lugar é mágico magnífico e muito mais

Quem sou

Nascida em Belo Horizonte, apaixonada pela vida urbana, sou fascinada pelo meu tempo e pelo passado histórico, dois contrastes que exploro para entender o futuro. Tranquila com a vida e insatisfeita com as convenções, procuro conhecer gente e culturas, para trazer de uma viagem, além de fotos e recordações, o que aprendo durante a caminhada. E o que mais engradece um caminhante é saber que ao compartilhar seu conhecimento, possa tornar o mundo melhor.

Seguidores