sábado, 23 de abril de 2011

Manaus, no coração da maior floresta do mundo



Manaus é uma cidade histórica imersa no coração da maior floresta tropical do mundo. Capital do Amazonas e uma das sedes da Copa do Mundo em 2014, a cidade tem muito a oferecer aos turistas que aportam nessa região. O nome da cidade deriva da nação indígena Manaós, que foram os primeiros habitantes da região e significa Mãe dos deuses.


 

Na época da colonização portuguesa o acesso à região era difícil e não se conhecia as riquezas da região, por isso não despertava interesse. Só foi ocupada por ser um ponto estratégico entre os rios Negro e Solimões. 

No começo do século 20, quando a borracha se tornou a principal matéria-prima das indústrias mundiais, o Amazonas despertou atenção para atender à demanda, pois era o único produtor mundial. A população da cidade cresceu com a chegada de nordestinos e imigrantes estrangeiros, principalmente ingleses que fundaram várias cidades na Amazônia.
 
 
 


Em 1900, quando se tornou a metrópole da borracha, foram construídos muitos hotéis, cassinos, palacetes e o teatro com os requintes de uma cidade moderna. Também foi nessa época que a cidade tornou-se referência internacional para estudos de doenças tropicais, como a febre amarela, dengue e malária, doenças típicas de regiões tropicais. 

Quem vai a Manaus precisa se prevenir com as respectivas vacinas, pois essas são doenças que podem trazer outras complicações. Devido à proximidade à Linha do Equador, o primeiro impacto que turista conhece da cidade é o seu clima quente e úmido durante quase o ano todo. 



 Mercado Municipal
Palácio da alfândega
Palácio da justiça
O Mercado Municipal é uma das antigas construções da década de 1900, sendo uma réplica do mercado Les Halles em Paris e por onde passa a produção de peixes da região. Em 1910 Manaus foi surpreendida com a concorrência da borracha extraída dos seringais da Ásia e entrou em declínio econômico. Muitos abandonaram a cidade que só voltou a ter destaque com a Zona Franca de Manaus, atraindo muitas pessoas para a região além de muitos turistas.
 
A Zona Franca de Manaus é o maior centro industrial brasileiro de fabricação de eletrônicos: celulares, televisores, computadores, tecidos, produtos químicos, montadora de motocicletas, etc. Criada em 1967, serviu de estímulo para a industrialização e ampliação do mercado de trabalho com a isenção de impostos alfandegários.   
 
 


 



Rio Negro: O Rio Negro mais parece um rio de Coca-Cola,  sendo o mais extenso rio de água escura do mundo e o segundo maior em volume de água depois do Rio Amazonas. Em Manaus as águas escuras do Rio Negro encontram as águas barrentas do Rio Solimões formando o rio Amazonas, momento em que ocorre um fenômeno natural muito interessante. Em decorrência da  diferença de temperatura, densidade das águas e velocidade das correntezas, as águas percorrem cerca de 6 km sem se misturarem.  


 
 
 
 
Porto de Manaus: O Rio Amazonas,  maior rio do planeta em volume de água e em extensão,  permite receber constantemente uma grande quantidade de transatlânticos com turistas estrangeiros, além dos turistas que chegam pelo Aeroporto de Manaus que é um dos mais movimentados do Brasil. O porto é uma interessante obra de engenharia, pois oscila com a subida e descida das águas do Rio Negro. 

É do porto de Manaus que partem navios, lanchas e barcos para diversas cidades da região amazônica, em jornadas que as vezes duram dias atravessando a selva. Numa região com poucas estradas, o transporte fluvial é o principal meio de transporte entre as centenas de cidades e povoados. O frenético movimento dos barcos, de todos os tamanhos, seja de passageiros quanto de mercadorias, forma um fascinante mosaico de cores, cheiros e sabores. 
 
 
 

 
 
 
Arena de Manaus: Durante a Copa do Mundo de 2014, a Arena de Manaus receberá as delegações provenientes da Inglaterra, Itália, Camarões, Croácia, Estados Unidos, Portugal, Honduras e Suissa. Construída com arquitetura inspirada na floresta amazônica, a arena está localizada entre o aeroporto e o centro histórico da cidade. As novas instalações foram cuidadosamente trabalhadas para oferecer conforto aos atletas e para 42.000 espectadores. 

 

Praça do teatro
Caprichoso
Garantido


Folclore: Os amazonenses são simpáticos e hospitaleiros, sempre dispostos a conversar. E se estiver com disposição para "prosear" você vai encontrar muitas estórias de caboclos e mitos.  A cultura amazonense é muito rica e para tudo há uma explicação mítica. E delas nascem as músicas regionais que contam as lendas de boto, do boi bumbá e muitas outras que fazem sonhar.

E foi a lenda do boi que deu origem ao Garantido e Caprichoso, dois grupos folclóricos que alegram a terra com sons e ritmos que convidam a todos para dançar. Durante o ano festivais de música, canto e dança  acontecem em vários pontos da cidade.
 
 
Teatro de Manaus



 
Teatro de Manaus: O lindo teatro de Manaus foi inaugurado em 31 de dezembro de 1896, no auge do ciclo econômico da borracha. Construído nos moldes dos grandes teatros europeus, no teto tem destaque a maravilhosa obra "Glorias das belas artes da Amazônia". Considerada como uma das melhores casas de ópera do mundo, a cúpula do teatro é coberta com 36.000 escamas de cerâmica esmaltada e telhas vitrificadas vindas da Alsácia.
 
 
 
  

Igrejas: Há muitas igrejas em Manaus, entre elas a Catedral que é marcada por painéis e vitrais europeus, algo que era bem comum em sua época. Construída em 1888 em estilo eclético, que mistura do Gótico e o Neoclássico, desde sua fundação a igreja pertence aos padres Capuchinhos.

Pinturas provenientes da Itália cobrem do teto até o altar, sendo as obras de autoria de Silvio Centofanti, Francisco Campanella e Ballerini. A maior delas está logo na entrada, onde Ballerini retrata o martírio de São Sebastião. A base da cúpula retrata os quatro evangelistas e a cúpula a "Glória do Céu" com oito anjos. Na capela lateral está um presépio em tamanho natural trazido da Europa.  




 
barco de passeio








Passeios de barco: Os passeios de barco pelos rios e florestas levam a um mundo deslumbrante de ricas paisagens. É um passeio divertido, impressionante e revelador. Além disso, propicia conhecer aspectos da natureza e da vida animal, pássaros, artesanato indígena, sons, cores e odores da selva; um mundo que está além do que se pode imaginar existir.



Hotel de Selva



Hotel de Selva

Hotel de Selva
nado com boto
Jovem líder da comunidade indígena
 

Hospedagem na floresta: Alguns turistas preferem se hospedar na selva para sentir as sensações da mata, onde estão os resorts de luxo próximo a Manaus.  Há agências de turismo que oferecem um tour, que inclui o nado com os botos e visita à Comunidade Indígena do Tupé nas imediações de Manaus.

Além de conhecer as atividades diárias da  comunidade e o artesanato, eles promovem um passeio na floresta com direito a nado no rio. É uma oportunidade de conhecer a cultura indígena, seus rituais e danças típicas. Para as apresentações as pessoas da comunidade se caracterizam. A aldeia está localizada às margens do rio Negro na periferia de Manaus.

 







Reservas ecológicas: Mas quem não quiser adentrar na selva  pode visitar os inúmeros parques e reservas ecológicas. Os grandes mamíferos, como o Peixe-boi e o Boto, são encontrados principalmente em regiões sem muita movimentação do rio Negro, e também em lagos no bairro Tarumã e em alguns reservatórios da cidade, como o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia.

Existe ainda o Parque do Mindu, o Parque Estadual Sumaúma, o Parque Ponte dos Bilhares. Algumas árvores de origem amazônica, como a Andiroba e Mafumeira - também conhecida como Sumaúma, são encontradas nos parques da cidade e também no Parque do Mindu e Parque Estadual Sumaúma. Tartarugas, víboras, pássaros e peixes de todas as espécies plumagens e peles são encontrados nos viveiros.


 








No enorme Parque do Mindu, tem espécies e  elementos do ecossistema amazônico. É nesse parque que se vê o Soim-de-coleira, um pequeno macaco que existe apenas na região de Manaus, assim chamado por ter o corpo coberto de pelos castanhos apenas o pescoço com pelos brancos, que mais parecem uma coleira. É também nesse parque que está um vasto canteiro de ervas com propriedades medicinais e aromáticas, além das trilhas suspensas.

 
O Jardim Botânico Adolpho Ducke, que é o maior jardim botânico do mundo, tem árvores com 40 metros com mais de 400 anos.  São mais de 100 km² com uma grande biodiversidade, mudas de plantas, biblioteca sobre botânica e meio ambiente, pavilhão de palestras e eventos, espécies de animais em extinção, como araras, tucanos, tatus e onças-pintadas, e também amostras da Vitória-régia, a maior flor do mundo que nasce nas regiões ao longo do Rio Amazonas. 

 

 
Praias: E com tantas águas não faltam praias e cachoeiras em Manaus: Praia da Ponta Negra, Praia do Tupé, Praia Dourada e a Praia da Lua que tem o formato de uma lua crescente, com areias brancas que contrastam com as águas do Rio Negro.  

 


Gastronomia: Tapioca, Pirarucu de casaca, Banana Pacovã, Tambaqui grelhado ou Caldeirada de tambaqui, são pratos da culinária manauara, de nomes e gostos exóticos. A farinha de mandioca, também chamada de farinha d'água, é típica do Amazonas e servida em vários pratos.

Também exóticos são os sabores de sucos, sorvetes e sobremesas com as frutas típicas da região: graviola, camu-camu, jenipapo, biribá, pupunha, abiu, tucumã e outras.   É desta região o famoso energético guaraná.

Guaraná
 
Estimulante e até afrodisíaco, são muitas as propriedades atribuídas ao guaraná, um pó extraído dessas sementes com qual os índios da Amazônia faziam o uaranã, ou "bebida dos senhores". Natural da amazônia, o guaraná é um cipó que se enrosca no tronco das grandes árvores e pode atingir até 10 metros. Suas flores são brancas e quando cai a flor aparece o fruto colorido. 



Urucum



Pupunha



Frutos amazonenses




Cestaria indígena

Nenhum comentário:

Quem sou

Nascida em Belo Horizonte, apaixonada pela vida urbana, sou fascinada pelo meu tempo e pelo passado histórico, dois contrastes que exploro para entender o futuro. Tranquila com a vida e insatisfeita com as convenções, procuro conhecer gente e culturas, para trazer de uma viagem, além de fotos e recordações, o que aprendo durante a caminhada. E o que mais engradece um caminhante é saber que ao compartilhar seu conhecimento, possa tornar o mundo melhor.

Seguidores