quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Lagoa Santa, relíquia arqueológica



Dizem que há muitos anos um tropeiro viajante chegou numa região de Minas Gerais e à beira de uma grande lagoa lavou suas pernas feridas devido a uma doença. Sentindo-se aliviado das dores e feridas, o viajante permaneceu naquela terra e logo foi curado. A notícia da cura milagrosa logo se espalhou pelos arredores e o pequeno arraial passou a receber peregrinos em busca da cura para seus males.











Assim surgiu a cidade de Lagoa Santa, que atraiu pesquisadores internacionais para atestar os efeitos clínicos da água.
A perenidade da lagoa foi atestada pelos relatos dos naturalistas viajantes desde o século 17.

Com pouca profundidade e
alimentada por um aquífero, atualmente a lagoa é margeada por uma avenida com muitos condomínios de luxo, restaurantes e elegantes barzinhos dando um aspecto pitoresco à cidade onde muitos passam os finais de semana nas pousadas e nos pequenos sítios nas redondezas.









Na entrada da cidade um pequeno avião indica a presença do Parque Aeronáutico de Lagoa Santa que presta fabricação, inspeção e manutenção de aeronaves para a FAB - Força Aérea Brasileira além de cursos de capacitação. Instalado na cidade desde 1935, a estrutura militar da Aeronáutica tem vários hangares, oficinas e laboratórios equipados com tecnologia de última geração.

Bem próximo a Lagoa Santa está o Aeroporto internacional Tancredo Neves, também conhecido como Aeroporto de
Confins. O complexo aeronáutico é equipado com sistemas de tecnologia avançada e terminal de cargas automatizado. Com uma longa pista de pouso e decolagem de vôos procedentes do exterior, de outras partes do Brasil e equipamentos para pouso de previsão, é um dos aeroportos mais seguros do Brasil.

O amplo espaço do saguão permite
deslocamento dos passageiros com conforto e comodidade que podem contar com diversas lojas, restaurantes e lanchonetes. Ligado ao centro de Belo Horizonte por uma linha de ônibus executivo ou taxi, permite traslado fácil e sem atropelos.





Lagoa Santa é o principal acesso para a Serra do Cipó. Com altitudes que variam de 800 a 1.700 metros, foi uma região ocupada pelo oceano há cerca de 1.7 bilhão de anos que se vê nas suas características geológicas que tem predominância do quartzito formado pela consolidação das areias depositadas no fundo do antigo mar.

Sua importância histórica está nos sítios arqueológicos com vestígios de comunidades primitivas, nas grutas e cavernas
através de desenhos e pinturas rupestres com idade estimada entre 2 mil e 8 mil anos. Para muitas pessoas a Serra do Cipó é um local místico, uma terra de cristais e discos voadores, mas o que mais atrai seus visitantes é a beleza e pureza das águas, com suas inúmeras cachoeiras e piscinas naturais.







O Parque Estadual do Sumidouro faz parte de Lagoa Santa. Criado para preservar o patrimônio cultural e natural existente na região, é mais conhecido devido à Gruta da Lapinha , Gruta Arruda e da Lagoa do Sumidouro.

A Lapinha é
um dos locais mais interessantes: por fora, um quiosque com muitas árvores torna o local agradável junto à natureza; por dentro, extraordinárias galerias esculpidas pela natureza com mais de 500 metros de metros de extensão e 40 metros de profundidade. Em seus salões existem magníficos espeleotemas encontrados nas mais variadas formas.

Localizada numa região arqueológica, um maciço formado há 600 milhões de anos, foi descoberta em 1835 pelo cientista dinamarquês Peter Lund, o pai da Paleontologia Brasileira que passou a maior parte de sua vida pesquisando e divulgando a região no campo da arqueologia e paleontologia. Seus restos mortais jazem sob um monumento à sombra de um pequizeiro que, em vida, lhe servia de abrigo para suas pesquisas e estudos.





Ao lado da gruta, o Museu Arqueológico da Lapinha foi organizado durante 40 anos com relíquias arqueológicas e que serviu para constatar que em Lagoa Santa viveram níveis diversos de civilizações primitivas, dando à cidade a fama internacional do "Homem de Lagoa Santa". Estudos comprovam a existência da presença humana nesta região há mais de 10.000 anos. A vida do "Homem Pré -Histórico" está cercada de mistérios e contradições, para os quais a ciência ainda tem poucas explicações.

Nenhum comentário:

Quem sou

Nascida em Belo Horizonte, apaixonada pela vida urbana, sou fascinada pelo meu tempo e pelo passado histórico, dois contrastes que exploro para entender o futuro. Tranquila com a vida e insatisfeita com as convenções, procuro conhecer gente e culturas, para trazer de uma viagem, além de fotos e recordações, o que aprendo durante a caminhada. E o que mais engradece um caminhante é saber que ao compartilhar seu conhecimento, possa tornar o mundo melhor.

Seguidores