sexta-feira, 8 de abril de 2011

Ibitipoca, paraiso das bromélias e orquídeas



O Parque Estadual de Ibitipoca em Minas Gerais é lugar para quem gosta de cachoeiras e grutas, caminhando entre bromélias e orquídeas, além das paisagens deslumbrantes. Um lugar perfeito para quem quer esquecer a cidade grande e se divertir na natureza. Local de camping, os mirantes naturais permitem ficar horas apreciando todo o parque com sua extensa vegetação, lagos e montanhas.







A paisagem é bem peculiar com cactus, rochas e areia branca.
Acredita-se que um dia essa região tenha sido mar e através de muitas metamorfoses o arenito tenha sido transformado em quartzito dando origem as diversas formas de relevo existentes. Alguns dizem que Ibitipoca é a boca de um vulcão adormecido devido as formas de ferradura de seus grandes abismos. Essa região é conhecida pela grande quantidade de bromélias, orquídeas e plantas carnívoras.





Conceição do Ibitipoca nasceu com o Ciclo do Ouro, no final do século 17 e hoje tem muitas expedições científicas nessa área devido às suas riquezas naturais. Nos anos 70 Ibitipoca começou a ser visitada por turistas que procuravam aventura junto à natureza e o parque foi criado em 1973. O ponto de partida é na cidade de Juiz de Fora. Chegando a Lima Duarte é necessário pegar uma estradinha de terra para chegar ao parque.

Essa região servia de passagem entre Minas Gerais e o Porto de Parati, chamada de Trilha do ouro. Quando aconteceu a descoberta de ouro na região, atraiu muita gente para o local. Porém a maioria mudou-se para Ouro Preto com a descoberta de ouro naquela cidade. Isso provocou uma decadência e com o êxodo de Ibitipoca, só restou na região uma população mais pobre. Muitos contrabandistas traziam comida e levavam o ouro contrabandeado para o Porto do Rio de Janeiro, pela trilha.










O Parque tem muitas placas indicativas, mas o melhor é seguir com um guia do local que além de indicar os caminhos certos, ele sabe contar muitas histórias do local. Para ir ao Pico do Pião tem que ter disposição para muitas subidas. É onde se tem uma vista linda do parque e onde estão as ruínas de uma igrejinha destruída pela ação dos raios e tempestades.

Essa igrejinha foi construída em 1932 no alto do Pico do Pião, com a imagem do Bom Senhor Jesus da Serra. A igreja tinha intenção de se apossar das terras, porém o Governo do Estado solicitou uma reintegração de posse da terra e o que resta hoje são as ruinas da Capela.








Janela do Céu é um mirante natural onde se chega através de uma trilha seguindo o curso do rio. No caminho está a Cachoeirinha, umas das mais lindas cachoeiras do parque.





É também nesse caminho que estão as Grutas do Monjolinho, dos Fugitivos, dos Três Arcos e dos Moreiras. É em Ibitipoca que está a Gruta das Bromélias, a segunda maior caverna de arenito-quartzito do mundo, com aproximadamente 3 km de galerias e salões.





O Lago dos Espelhos com suas areias brancas lembra uma praia, mas as águas são calmas onde desagua uma cachoeira. Entre dezembro e março as cachoeiras ficam mais volumosas devido as chuvas. Perto do camping existe a Prainha de onde se pode ver o Rio do Salto formando várias piscinas naturais. Mais adiante está a Ponte de Pedra, um enorme túnel de pedra que dá acesso à Cachoeira dos Macacos, a preferida dos aventureiros.









A cidade tem mais de 10 hoteis e restaurantes, mas os aventureiros preferem os campings. É na lanchonete do camping que o pessoal se reúne ao entardecer para jantar e cantar ao som de um violão.





Um comentário:

Blog Do FerinhA disse...

Lucia suas fotos ficaram magníficas
de uma realidade estupenda.
Pois bem, eu realizo trabalhos manuais feitos com paisagens locais e da região, com a fauna e flora principalmente de Ibitipoca valorizando o turismo local e as belas paisagens, são quadros elaborados com pedras e seus derivados. Se deseja entrar em contato. Dtonioni.h17@hotmail.com
Desde já meu Muito Obrigado.

Quem sou

Nascida em Belo Horizonte, apaixonada pela vida urbana, sou fascinada pelo meu tempo e pelo passado histórico, dois contrastes que exploro para entender o futuro. Tranquila com a vida e insatisfeita com as convenções, procuro conhecer gente e culturas, para trazer de uma viagem, além de fotos e recordações, o que aprendo durante a caminhada. E o que mais engradece um caminhante é saber que ao compartilhar seu conhecimento, possa tornar o mundo melhor.

Seguidores