terça-feira, 19 de abril de 2011

Santarém, o caribe brasileiro



Litoral de águas doces e areias finas, Santarém é o Caribe brasileiro. Considerada a pérola do Tapajós, está na confluência dos rios Amazonas e Tapajós sendo muito procurada pelos ambientalistas. O encontro das águas dos rios pode ser visto ao longo de um trecho extenso em tons de azul e marrom, sem se misturar, numa dança hipnótica. Esse fenômeno ocorre devido as diferentes temperaturas, velocidade e densidade das correntes.







No Porto de Santarém ficam
atracados centenas de barcos à espera dos turistas para ir à Ilha do Meio. De dezembro a maio, época das chuvas, as estradas ficam alagadas e só é possível chegar a Santarém de barco ou avião.







Famosa é a Festa do Sairé de Santarém, uma manifestação folclórica que mistura religião com sensuais apresentações. Um dos momentos mais aguardados durante o evento é a apresentação dos blocos dos botos Tucuxi e Cor de Rosa na arena conhecida como Sairódromo que tem as cores verde e rosa como tradição. Os desfiles de carros alegóricos e fantasias fazem referências a personagens amazônicos.

Na segunda semana de setembro acontece uma procissão cantada em latim, conhecida como Busca dos Mastros, que anuncia o começo da festividade de cinco dias com ladainhas, carimbó e a disputa dos botos. A festa tem mais de 300 anos de tradição e remonta os rituais dos índios boraris de boas-vindas aos colonizadores portugueses. O evento começa com a busca dos mastros nas matas que são decorados com flores, frutas e bebidas. No último dia da festa as equipes derrubam os mastros. Dizem que pegar uma das frutas do mastro, garante sorte durante o ano.







Santarém tem inúmeras praias fluviais: Ponta de Pedras, Maracanã, Maria José, Juá, Arariá, Jutuba, Carapanari, Salvação, Pajuçara, Ponta do Cururu e Ponta do Mureta. A maioria são praias desertas só acessíveis através de barcos. Além disso, cachoeiras, florestas e formações rochosas atraem para o ecoturismo. À noite muitos barcos saem para o turismo de pesca, com pernoite nos barcos.

O Lago Verde ou Lago Muiraquitãs tem uma interessante curiosidade, suas águas mudam de cor durante o dia, de azul para verde. O lago tem uma peculiar forma de V, com o vértice voltado para o rio Tapajós, com praias de areias brancas durante o período de maior estiagem de agosto a novembro. No auge do verão, o lago Verde fica quase totalmente separado do rio Tapajós, por meio de uma imensa barra fluvial com cerca de 1 km de extensão, denominada de ilha pelos habitantes da região.







A Vila Alter-do-Chão está aproximadamente a 30 km da cidade. Roteiro de cruzeiros estrangeiros, a Praia de Alter do
Chão é considerada uma das mais belas praias do Brasil, mas as praias fluviais são temporárias. Na época da vazante, de agosto a dezembro, as águas baixam e aparecem enormes faixas de areia branca e límpida, surgindo a bela praia. De janeiro até agosto, as águas retornam inundando totalmente a praia, dependendo da cheia do Rio Tapajós.













Nenhum comentário:

Quem sou

Nascida em Belo Horizonte, apaixonada pela vida urbana, sou fascinada pelo meu tempo e pelo passado histórico, dois contrastes que exploro para entender o futuro. Tranquila com a vida e insatisfeita com as convenções, procuro conhecer gente e culturas, para trazer de uma viagem, além de fotos e recordações, o que aprendo durante a caminhada. E o que mais engradece um caminhante é saber que ao compartilhar seu conhecimento, possa tornar o mundo melhor.

Seguidores