quarta-feira, 13 de julho de 2011

Goiânia, cidade da eterna primavera



Goiânia, a capital do estado de Goiás, é chamada de Cidade da Eterna Primavera. Repleta de belas praças e jardins, são inúmeros os parques e bosques que formam uma grande área verde no centro oeste do Brasil.


Cruzamento das avenidas 63/85
 
 
 
Suas amplas e largas avenidas, cobertas de árvores e suas praças floridas, transformam a cidade em um grande jardim de muitas cores. Uma particularidade da cidade é que a maioria das ruas não tem nome, sendo identificadas apenas por números, numa sequência nem sempre lógica para os turistas. Mas isso não impede de apreciar as belezas da cidade.


Monumento dedicado aos bandeirantes




Desde 1830 já se falava em construir uma cidade planejada, mas a idealização só se tornou realidade em 1930. Nessa época foram construídas as três principais avenidas da cidade: Goiás, Araguaia e Tocantins. O monumento no cruzamento das avenidas Goiás/Anhanguera homenageia os bandeirantes, que no passado percorreram essas terras à procura de ouro e pedras preciosas.


Torre do relógio

Teatro Municipal
Praça Cívica: A Praça Cívica representa o ponto de início da construção da capital em 1930.  Do patrimônio histórico fazem parte o Palácio do governo, o coreto que marca o centro da praça, a torre do relógio na avenida Goiás e o Teatro Municipal, que foi um dos primeiros prédios construídos na cidade. 
 
 
Palácio do governo
 
Na praça tem destaque o palácio do governo, que foi nomeado como Esmeraldas devido à sua cor verde que representa as preciosidades da terra. À noite se destaca à noite quando os reflexos das luzes o tornam brilhante como uma esmeralda. No passado, foram as pedras esmeraldas que trouxeram muitos desbravadores até essa região. 
 
 
Museu Zoroastro Artiaga


Na Praça Cívica encontra-se o Museu Zoroastro Artiaga que foi o primeiro de Goiânia. Foi criado em 1946 e dedicado ao historiador e pesquisador que reuniu um vasto acervo da história de Goiânia. A exposição permanente reúne peças arqueológicas e antropológicas da cultura indígena e da mineralogia. Documentos, fotos históricas e oratórios preservam a memória da cidade.

Outro museu histórico funciona na antiga casa do fundador da cidade. O Museu Pedro Ludovico é uma casa em estilo art decò, que mantém uma decoração típica dos anos de 1940 com móveis originais da época e centenas de livros que foram doados pela família do fundador. Tudo se manteve intacto desde a morte do seu antigo proprietário em 1979. No Museu da Imagem e do Som encontram-se milhares de discos, gravações e filmes que foram reunidos ao longo dos anos, além da história da televisão em Goiás. 
 




 
Bosques e Parques: Para curtir o ar puro da cidade, as melhores opções são os bosques e parques. Os Bosques dos Buritis e Botafogo, Jardim Botânico e Parques Ecológicos, como Vaca Brava e Areião, tornam a paisagem da cidade repleta de natureza.

O Bosque dos Buritis tem três lagos artificiais, tendo em um deles o maior jato d'água da América do Sul. No interior do bosque está o Museu de Arte de Goiânia. O Parque Ecológico tem uma área de reserva florestal onde está um sítio arqueológico da tribo dos índios Caiapós de quase 1500 anos e o Areião é o maior parque da parte central de Goiânia.
 
 




Centro Cultural Oscar Niemeyer
 
Monumentos modernos e obras de arte nas ruas, praças e parques trazem destaque a vários pontos da cidade e fazem de Goiânia uma verdadeira galeria de arte a céu aberto.  Na saída da cidade, o Centro Cultural é uma marca das obras modernistas do famoso arquiteto Oscar Niemeyer.       




Monumento Três Raças: Situado no centro da cidade, o monumento dedicado às três raças dá destaque à Praça Doutor Pedro Ludovico Teixeira que foi o idealizador da construção de Goiânia. Foi projetado para representar a miscigenação das três raças: o branco, negro e índio, presentes na formação do povo goiano. 





Monumento da Paz Mundial: Preocupado com a pacificação mundial, o artista plástico Siron Franco criou o Monumento à Paz Mundial no Bosque  dos Buritis. A obra é uma ampulheta de 5m de altura, pesa 500 toneladas e representa a possibilidade da união entre todos os povos.
 
No monumento estão terras de diversos países e de todos os continentes. O monumento simboliza a lembrança do acidente com o césio-137 em Goiânia, o pior acidente radiológico do mundo. A ampulheta traz os seguintes dizeres: "A Terra é um só país e os seres humanos seus cidadãos".


quetzal - ave sagrada dos astecas
Museu de Ornitologia: Considerado o maior do mundo em seu gênero, o Museu de Ornitologia contém biblioteca com livros e revistas científicas, laboratório de taxidermia, cursos sobre empanamento de animais, exposiçăo de peças pré-históricas e curiosidades do mundo animal.

A coleção reúne 120.000 peças tendo as mais belas e raras aves do mundo, como quetzal - ave sagrada dos astecas - além de répteis, peixes e borboletas de diversas partes do mundo. O Museu tem um moderno sistema de som, com caixas acústicas que reproduzem os sons das diversas espécies de animais.

A tecnologia do Home Theater permite ao visitante se envolver emocionalmente, como se estivesse ouvindo os animais em plena selva. É um dos únicos no mundo especializado na exposição de animais empalhados da fauna brasileira e do exterior.




 

Compras e Feiras: Goiânia tem gigantescos shoppings centers, mas quem quiser pode aproveitar as feiras para fazer compras ao ar livre. O passeio tradicional de domingo é pela Feira Hippie. Saboreando um caldo de cana e comidas típicas, pode-se comprar artesanatos e outros objetos. Outra feira bastante conhecida é a Cora Coralina na Rua do lazer, especializada em guloseimas. 

Aos sábados a Praça Tamandaré se transforma na Feira da Lua, onde se encontra o comércio de roupas,  calçados, comidas etc. Aos domingos, a Praça do Sol se transforma na Feira do Sol. Além de ser um local para as compras, são locais de passeios divertidos entre as flores dos jardins.
   
Além do aroma das flores, a comida típica, de origem indígena mesclada com outras origens, mistura temperos que são
inesquecíveis e apreciados no Peixe assado na telha, na galinhada, na carne de sol com legumes, no pernil assado com farofa na manteiga, no frango com pequi e no especial empadão goiano. As delícias podem ser saboreadas nas feiras espalhadas pela cidade e nos muitos restaurantes típicos. 

 











Rodovia dos Romeiros: Os Painéis da Via Sacra, ao longo da Rodovia dos Romeiros que liga Goiânia à cidade de Trindade, impressiona pela  grandiosidade. Ao longo de 16 km de extensão existe uma gigantesca galeria de arte a céu aberto, que é a maior e única no mundo.
 
São 14 painéis de 10m de largura e 4m de altura criados pelo artista plástico Omar Souto, que retratam os principais momentos da paixão de Cristo. Omar passou 105 dias no local para conseguir pintar todos os painéis.




Trindade: Construída no alto de uma montanha na cidade de Trindade a 18 km de Goiânia, a Basílica do Santuário do Divino Pai Eterno atrai romeiros de todos os lugares. As novenas têm início 9 dias antes do primeiro domingo do mês de julho.
 
Na ocasião acontecem a romaria de milhares de devotos e um dos pontos altos da festa é a entrada e desfile dos carros de boi vindos de vários lugares do interior do estado de Goiás. A Rodovia dos Romeiros é uma das únicas temáticas em todo o mundo.


 

 

 

Um comentário:

ana lara carrijo de melo da cunha disse...

legal , acessa meu blog demi lovers

Quem sou

Nascida em Belo Horizonte, apaixonada pela vida urbana, sou fascinada pelo meu tempo e pelo passado histórico, dois contrastes que exploro para entender o futuro. Tranquila com a vida e insatisfeita com as convenções, procuro conhecer gente e culturas, para trazer de uma viagem, além de fotos e recordações, o que aprendo durante a caminhada. E o que mais engradece um caminhante é saber que ao compartilhar seu conhecimento, possa tornar o mundo melhor.

Seguidores